Strict Standards: Only variables should be passed by reference in /home/robertobech/bechtranslations.com.br/doku.php on line 71

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/robertobech/bechtranslations.com.br/doku.php:71) in /home/robertobech/bechtranslations.com.br/inc/actions.php on line 154
artigos:traducao_no_linux:traducao_no_linux_05 [Bech Translations]

Tradução no Linux

StarDict: o Babylon do Linux

Sabe o Babylon, aquele programa que você carrega com dicionários .BGL? Há algo similar no Linux, e o que é melhor: gratuito! O programa chama-se StarDict.

O StarDict usa por padrão alguns dicionários online que, francamente, não dão nem pro cheiro. Mas você pode usar os dicionários do Babylon com uma pequena ginástica.

Primeiro, baixe seus dicionários favoritos na página de dicionários do Babylon. Um que pode ser especialmente interessante é o Aurélio, que tem versão para o Babylon. O Michaelis também está disponível, e pode ser uma boa opção de dicionário inglês-português. Ambos podem ser comprados na página do Babylon sem que seja necessário adquirir o programa.

O StarDict não lê os arquivos .BGL (formato padrão dos dicionários do Babylon). Então vamos ter que convertê-los. Para isso, vamos usar um programa chamado dictconv. Baixe o programa e compile - é fácil, porque além das ferramentas de compilação habituais, o programa só exige a libxml2-dev. Aí é só seguir o tradicional procedimento configure, make e make install.

Instalado? Vá até a pasta em que você baixou o dicionário do Babylon e dê um:

dictconv dicionario.bgl -o dicionário.ifo

O programa vai fazer a conversão, gerando três arquivos com as extensões idx, ifo e oft. Ponha isso tudo numa pasta (ex: meu_dicionario) e copie-a para /usr/share/stardict/dic/. Agora é só abrir o stardict e consultar seu dicionário. Eu sugiro que você dê um pulinho nas configurações do programa antes e desabilite o dicionário acessado pela internet, senão você terá zilhões de resutados de dicionários que não interessam.

Note que ao marcar uma palavra com o mouse uma janelinha pipoca exibindo a definição que o stardict encontrou. Isso é muito prático, mas fica melhor ainda se, nas opções do programa, você marcar a opção “somente ler se uma tecla modificadora estiver sendo pressionada”. Aí é só marcar a palavra desejada e pressionar a tecla Windows. Uma beleza este programa.

Problemas com tags?

Se o StarDict não renderizar corretamente as tags de itálico, negrito e afins, pode ser necessário fazer um pequeno ajusta. Abra o arquivo .ifo do dicionário em questão e altere a linha sametypesequence, logo no início do arquivo, para sametypesequence=h.

Houaiss e afins

Se você não gosta do StarDict e não quer ter que carregar sua máquina virtual Windows só para executar seu dicionário favorito, vai gostar de conhecer o Wine. Ele roda vários programas do Windows como se fossem programas de Linux, e eles geralmente funcionam muito bem. O Wine é capaz de rodar sem problemas dicionários como Houaiss, Aurélio, American Heritage e muitos outros. Você instala o programa e chama clicando no atalho. Ele abre como se fosse um programa nativo.

Mais uma vez, não vou dar maiores explicações sobre como instalar o Wine, mas é bem simples. Geralmente um yum install wine ou apt-get install wine resolvem o problema de instalar o wine, e você instala seu programa predileto com um wine instalador_do_houaiss.exe. Simples assim.

Há variações mais poderosas do Wine que são capazes até mesmo de rodar o pacote office, mas pela minha experiência não é muito vantajoso, pois há muitos problemas. Dizem, no entanto, que o Wine funciona muito bem com o Word Viewer e o Power Point Viewer.

Links Úteis

 
Recent changes RSS feed Powered by PHP Valid XHTML 1.0 Valid CSS Driven by DokuWiki

Strict Standards: Only variables should be passed by reference in /home/robertobech/bechtranslations.com.br/doku.php on line 79